EPISÓDIO XXII – TÚMULO DOS VAGALUMES

Quem não ama o seu semelhante vive uma vida estéril e prepara um túmulo triste para a sua velhice.

Percy Shelley

Os irmãos Setsuko e Seita vivem na cidade de Kobe que é localizada no Japão em meio a Segunda Guerra mundial. Após a morte da mãe num bombardeio americano e a convocação do pai para a Guerra, eles vão morar com alguns parentes. Insatisfeitos, saem da cidade e acabam num abrigo isolado na floresta, onde lutam contra a fome, as doenças e se divertem com as luzes dos vagalumes, mas será que ambos conseguirão vencer a batalha pela vida?

O filme “Túmulo dos Vagalumes” de 1988 possui uma nota de 8,5 no IMDB e uma audiência de 95% no Rotten Tomatoes. Este longa-metragem está nas lista de filmes mais bem avaliados de todos os tempos pelos usuários dos sites IMDB, Rotten Tomatoes e Letterboxd.

O filme é baseado em uma história verídica. Akiyuki Nosaka que perdeu a própria irmãzinha durante a guerra devido à desnutrição e se culpou pela morte dela. Ele escreveu “Túmulo dos Vagalumes” em 1967 para tentar superar a perda dela. A adaptação cinematográfica foi escrita e dirigida por Isao Takahata e animada pelo Studio Ghibli.

O filme foi originalmente planejado como uma espécie de filme duplo de longa-metragem com outro filme de Ghibli, Meu Amigo Totoro de 1988. A empresa de Ghibli argumentou que o vínculo de Totoro com um filme com mais mérito educacional garantiria sua inclusão na lista de filmes recomendados para crianças em idade escolar.

A razão é que o lançamento do filme original para aquele filme foi rejeitado, então eles lançaram um filme duplo com “Túmulo dos Vagalumes”, e o projeto acabou sendo apoiado financeiramente pelo escritor original do livro no qual “Túmulo” é baseado. Frequentemente, era esquecido como filme porque sempre que “Totoro” era exibido primeiro, as pessoas ficavam felizes e não queriam se entristecer com “Túmulo” depois.

Isao Takahata foi o único animador envolvido no projeto que sobreviveu a explosões de bombas durante a Segunda Grande Guerra.

De acordo com a trama do filme, o pai das crianças era um capitão da Marinha Imperial Japonesa (IJN) que serviu a bordo do Maya, um cruzador pesado da classe Takao que participou de vários combates navais durante a Segunda Guerra Mundial. Em 23 de outubro de 1944, durante a Batalha do Golfo de Leyte, Maya foi torpedeado por um submarino americano e afundou com a perda de 479 homens, incluindo o capitão do navio. O nome do navio é derivado do Monte Maya, uma montanha localizada perto da cidade de Kobe, onde a narrativa ocorre.

O diretor Isao Takahata negou repetidamente que o filme fosse um filme anti-guerra. Em suas próprias palavras “[O filme] não é um anime anti-guerra e não contém absolutamente nenhuma mensagem desse tipo.” Em vez disso, Takahata tinha a intenção de transmitir uma imagem do irmão e da irmã vivendo uma vida fracassada devido ao isolamento da sociedade e invocar simpatia, especialmente em pessoas na adolescência na casa dos vinte anos de idade.

PRÊMIOS E INDICAÇÕES

Vencedor

BLUE RIBBON AWARDS (1989)

Prêmio especial, Isao Takahata.

e venceu mais outros dois prêmios.

 

Nota geral:

 

Mais sobre:

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

Leave a reply:

Your email address will not be published.