EPISÓDIO XI – INSIDE LLEWYN DAVIS: BALADA DE UM HOMEM COMUM

Vejo aquele garoto sentado no fundo do bar
Pegando uma tempestade com uma guitarra Martin
Esse pobre tolo acha que vai ser uma estrela
Ele é apenas mais um perdedor assim como eu

Dave Van Ronk

Em 1961 observe a vida do jovem cantor Folk Llewyn Davis, que fora interpretado por Oscar Isaac, em Greenwich Village, na cidade de Nova York. Acompanhado de Ulisses, um gato de estimação, e uma guitarra em punho, ele luta contra obstáculos aparentemente intransponíveis para tentar lançar a si mesmo no mundo da música, porém o sucesso permanece indefinido. Dependendo da gentileza de amigos e estranhos, Llewyn embarca em uma odisseia que o levou das ruas de Greenwich Village a um clube de Chicago, onde aguarda um magnata da música que pode lhe dar a grande chance de que ele tanto ansiou.

Dave Van Ronk (1936-2002)

Possui nota de 7,5 no IMDB e uma audiência de 74% no Rotten Tomatoes.

O filme que foi escrito e dirigido pelos irmãos Coen fora inspirado parcialmente na biografia do cantor Dave Van Ronk, The Mayor of MacDougal Street: A Memoir, que apesar de ter sido considerado como o mentor e incentivador de artistas que despontaram naquela ocasião, Bob Dylan, Joan Baez e Joni Mitchell, nunca alcançou a fama de seus contemporâneos apesar dos discos que lançou e das turnês que fez. Toda a fama e o sucesso dele se restringiu basicamente ao bairro folk de New York.

A trilha sonora é envolvente e traz nomes como Marcus Mumford da banda Mumford & Sons, Justin Timberlake, Bob Dylan e até o próprio Dave Van Ronk com a música “Green, Green Rocky Road”.

Ao contrário de Llewyn, Van Ronk tinha uma relativa fama no bairro, sendo apelidado de “Prefeito da rua MacDougal” – uma das principais da região. Além de excelente violonista, influenciado por ícones como Rev. Gary Davis e Mississippi John Hurt, Van Ronk também era referência pelos pensamentos políticos e pela seu amplo conhecimento sobre folk, blues e jazz tradicional.

No programa de entrevistas da NPR “Fresh Air”, o apresentador Terry Gross perguntou aos Coens se essa foi a inspiração deles para ter um gato no filme, e eles responderam-lhe que não apenas não era, mas também que nem haviam notado o gato na capa do álbum de Van Ronk até que terminassem as filmagens e um diretor de arte apontasse a coincidência durante a pós-produção.

O visual da personagem de Justin Timberlake, Jim Berkey, foi inspirado em Paul Clayton, um amigo próximo de Van Ronk, que se suicidou em 1967. Clayton era super dedicado e tinha, assim como Timberlake, uma voz suave. Ele também foi mentor e amigo de Bob Dylan durante os primeiros anos de carreira de Dylan, mas Clayton era gay e solteiro, enquanto que Jim possui uma esposa chamada Jean, que fora interpretada por Carey Mulligan.

O nome de Troy Nelson, interpretado por Stark Sands, foi certamente inspirado em Tom Paxton, um dos mais bem sucedidos cantores e compositores a emergir deste ambiente. Como Paxton no início de sua carreira, Nelson está no Exército e vivendo em Fort Dix, visitando Greenwhich Village nos fins de semana para se apresentar no Gaslight e em outros lugares. Os Coens deixam pouca dúvida sobre a sua inspiração aqui fazendo Troy cantar “The Last Thing on My Mind”, uma das músicas mais conhecidas de Paxton.

Certa noite no Gaslight, Llewyn Davis assiste a uma performance de um quarteto folk que sem dúvida alguma, foi inspirado nos The Clancy Brothers, um grupo tradicional na cena folk de Greenwich Village durante o período de tempo apresentado no filme. Como narra a história, ao ouvir rumores de que ia ser um inverno frio em Nova York, a mãe dos Clancys enviou seus filhos com suéteres grossos, o que acabou se tornando a marca registrada do grupo.

Oscar Isaac e Adam Driver apareceriam novamente mais tarde frente a frente no longa-metragem Star Wars: O Despertar da Força (2015) como Poe Dameron e Kylo Ren respectivamente.

A escolha mais comum dos Coens para o diretor de fotografia, Roger Deakins, não estava disponível para gravar o longa-metragem, pois estava gravando 007 – Operação Skyfall (2012). Enquanto isso Bruno Delbonnel, que é francês, assumiu o cargo e consequentemente foi indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, a quarta indicação dele em 13 anos. Enquanto isso Deakins, que é britânico, foi indicado 14 vezes ao Oscar, cinco dessas pelos filmes dos Coens.

Assim que Davis deixa o Gaslight, após sua apresentação final, ele se vira e vê um vislumbre de um cantor com um cabelo desgrenhado, voz fina e rouca, e suporte de gaita em torno do pescoço executando o tradicional, “Farewell”. Davis não está familiarizado com o intérprete, mas a silhueta é inconfundivelmente Dylanesca. Em 1962, Dylan era um frequentador assíduo do Gaslight. Van Ronk ainda ajudou a organizar alguns dos setlists de Dylan por lá para serem gravados em uma coleção que foi oficialmente lançada em 2005 intitulada de “Live at The Gaslight 1961”.

PRÊMIOS E INDICAÇÕES 

Venceu

FESTIVAL DE CANNES (2013)

Grande Prêmio do Júri, Ethan Coen e Joel Coen.

Indicado

OSCAR (2014)

Melhor Cinematografia, Bruno Delbonnel, Melhor Mixagem de Som, Skip Lievsay, Greg Orloff e Peter F. Kurland.

GLOBO DE OURO (2014)

Melhor Filme, Comédia/Musical, Melhor Ator, Oscar Isaac, Melhor Canção Original, Ed Rush, George Cromarty, T Bone Burnett, Justin Timberlake, Joel CoenEthan Coen.

FESTIVAL DE CANNES (2013)

Palma de Ouro, Ethan Coen e Joel Coen.

PRÊMIO BAFTA (2014)

Melhor Direção, Joel Coen e Ethan Coen, Melhor Cinematografia, Bruno Delbonnel, Melhor Trilha Sonora, Peter F. Kurland, Skip Lievsay e Greg Orloff.

Entre muitos outros, quarenta e sete premiações e cento e setenta e três indicações.

 

Nota geral:

 

Mais sobre:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caros apoiadores, ouvintes e seguidores, pedimo-vos desculpas por atrasar o nosso episódio mais uma vez, porém desta vez a nossa diminuta equipe, composta por um homem só [quem aí lembra do Engenheiros do Hawaii?], precisou fazer uma extensa pesquisa e por isso demoramos mais tempo do que o previsto para entregar o episódio, desta forma pedimos desculpas pelo atraso.

Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

 

 

 

2 comments On EPISÓDIO XI – INSIDE LLEWYN DAVIS: BALADA DE UM HOMEM COMUM

  • Hey – great weblog, just looking about some blogs, seems a fairly good platform you are utilizing. Im currently making use of WordPress for several of my websites but looking to alter one of them more than to a platform similar to yours as a trial run. Something in particular you would suggest about it?

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer