EPISÓDIO VII – 12 HOMENS E UMA SENTENÇA

A verdadeira administração da justiça é o pilar mais firme de um bom governo.

George Washington

Doze jurados devem decidir se um jovem porto-riquenho é culpado ou não de ter assassinado ao próprio pai. Onze deles possuem plena certeza que ele foi o culpado, enquanto apenas um, o “número 8” que foi interpretado por Henry Fonda, ainda não está convicto, pois está lidando com eminente pena de morte de um rapaz de apenas dezoito anos de idade. Diante disso, um feroz debate se instaura entre os jurados, pois a argumentação do “número 8” é pautada na lógica e na razão contestando a célere decisão dos demais, abalando assim a certeza deles.
O filme possui uma nota de 9,0 no IMDB e também uma audiência de 97% no Rotten Tomatoes.

No início do filme, as câmeras são posicionadas acima do nível dos olhos dos atores e montadas com lentes angulares para dar a aparência de uma distância maior entre os temas abordados. Conforme a trama prossegue, as câmeras descem até o nível dos olhos deles. No final do longa-metragem, quase tudo é filmado abaixo do nível dos olhos dos atores em close-up e com lentes telefoto para aumentar a sensação evasiva de claustrofobia.

É necessário saber que o longa-metragem de Reginald Rose possui uma refilmagem de 1997, que fora produzida para a TV com o título homônimo, esse que fora dirigido por William Friedkin, o diretor de “Operação França (1971)” e “O Exorcista (1973)“. O elenco tinha grandes nomes como Jack Lemmon que interpretou o papel que havia sido de Henry Fonda, George C. Scott que havia sido de Lee J. Cobb, e outros jurados foram interpretados por Armin Mueller-Stahl, James Gandolfini, Edward James Olmos e Hume Cronyn. Em 1997 já estávamos na era do politicamente correto, então o longa-metragem possuía: um negro, Courtney B. Vance, que interpretou o jurado nº 1, que no filme original havia sido de Martin Balsam, e uma mulher, a ótima Mary McDonnell, que interpretou a juíza.

Henry Fonda se casou com Frances Seymour Fonda, com quem teve dois filhos: Jane Fonda e Peter Fonda, que também se tornaram estrelas do cinema, e é avô da atriz Bridget Fonda.

PRÊMIOS E INDICAÇÕES

Venceu

PRÊMIO EDGAR ALLAN POE (1958)

Melhor filme

PRÊMIO BAFTA (1958)

Melhor Ator Estrangeiro, Henry Fonda

Indicado

OSCAR (1958)

Melhor Diretor, Sidney Lumet, Melhor Fotografia, Henry Fonda e Reginald Rose, e Melhor Roteiro adaptado, Reginald Rose.

GLOBO DE OURO (1958)

Melhor filme, Melhor Ator, Henry Fonda, Melhor Coadjuvante, Lee J. Cobb, e Melhor Diretor, Sidney Lumet.

PRÊMIO BAFTA (1958)

Melhor Filme

entre outros…

 

Nota geral:

 

Mais sobre:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

 

 

 

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer