EPISÓDIO V – A CAÇA

A criança prestes a dormir não diz “conte-me alguns fatos interessantes”, mas “leia-me uma estória”.

Steve Turner

Lucas, que é interpretado pelo ator Mads Mikkelsen, acaba de passar por um traumático divórcio, então ele consegue um novo emprego em um jardim de infância que fica localizado em uma pequena cidade dinamarquesa, uma nova namorada a Nadja, que é interpretada pela Alexandra Rapaport, participa dos grupos de caça, uma tradição local, possui amigos leais e está ansioso pela visita de natal do filho Marcus, que é interpretado por Lasse Fogelstrøm, ao qual perdeu a guarda. Entretanto o espírito de natal desaparece quando Klara, que é interpretada pela atriz Annika Wedderkopp, que é filha do melhor amigo dele o Theo, que é interpretado por Thomas Bo Larsen, uma aluna de apenas cinco anos de idade, faz uma acusação de abuso contra ele, o que desencadeia o ódio de toda a comunidade na cidade em que o professor reside.

“Este é um filme sobre como um grande amor pelas crianças pode ser transformado em um grande medo, um grande ódio, e que pode implodir toda uma sociedade.” Mads Mikkelsen.

Argumentos favoráveis à inocência do Lucas:

  • Nas duas vezes em que o Lucas acompanha a Klara no trajeto da escola, ele não tenta nenhuma vez tocá-la, porém na segunda vez ela agarra a mão dele.
  • Quando a diretora da escola da Klara chama ela para conversar as duas palavras usadas pela menina, “pênis” e “ereto”, para descrever o que aconteceu com o Lucas, ela simplesmente reproduzir por ter ouvido o próprio irmão e o colega dele pronunciarem enquanto viam fotos pornográficas no tablet dele.
  • Em nenhum momento do filme o Lukas busca ficar sozinho com as crianças em algum lugar da escola, demonstrando assim algum tipo de comportamento suspeito.
  • A Klara afirma a mãe, na cena em que o Lucas é expulso da casa da família, e posteriormente ao pai, na cena em que ela está deitada pronta para dormir na noite de natal, que o Lucas não fez nada e que ela falou bobagens.
  • O Theo afirma para o Lucas em uma das primeiras cenas do filme “Sempre que cê mente, o seu olho pisca.” e ao final do longa-metragem ao bater no Theo dentro da igreja durante a missa do galo ele afirma “Olhe nos meus olhos, olhe nos meus olhos! Eu estou morto por dentro.”.

 

PRÊMIOS E INDICAÇÕES

Venceu

PRÊMIO DE FILME INDEPENDENTE BRITÂNICO (2012)

Melhor filme estrangeiro

FESTIVAL DE CANNES (2012)

Melhor ator – Mads Mikkelsen

Prêmio Juri Ecumênico

Melhor filme estrangeiro

Indicado

PRÊMIO DA BAFTA (2013)

Melhor filme estrangeiro

ACADEMY AWARDS, USA (2014)

Melhor filme estrangeiro

GLOBO DE OURO (2014)

Melhor filme estrangeiro

entre outros…

Nota geral:

 

Mais sobre:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

 

 

 

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer