EPISÓDIO 44 – FORREST GUMP

Todos nós temos talentos diferentes, mas todos nós gostaríamos de ter iguais oportunidades para desenvolver os nossos talentos.

John Kennedy

No ano de 1981 sentado num banco de ônibus Forrest Gump, que fora interpretado por Tom Hanks, narra toda uma vida de aventuras e adversidades transcorridas nas três últimas décadas: A infância pobre e marginalizada por causa de uma deficiência física na coluna, o encontro com a Jenny Curran, que fora interpretada por Robin Wright, que acabou se tornando a maior motivação para vencer os desafios cotidianos, e o apoio da própria mãe, que fora interpretada por Sally Field, que mostra-lhe que o Forrest não é inferior a ninguém por possuir também uma deficiência intelectual. Entretanto será que o Forrest está finalmente preparado para o maior desafio da vida dele?

O Filme “Forrest Gump” (1994) possui uma audiência de 95% no Rotten Tomatoes e uma nota de 8,6 no IMDB sendo o décimo primeiro filme mais bem avaliado da plataforma e o septuagésimo sexto filme mais bem avaliado de todos os tempos do American Film Institute.

Longa-metragem fora adaptado por Eric Roth do livro homônimo de 1986 do escritor Winston Groom que recebeu uma sequência intitulada de “Gump & Co” no ano de 1995.

A garota ruiva que aparece na cena do ônibus se chama Elizabeth Hanks e é filha do ator Tom Hanks.

Tom Hanks não fora pago por este filme, ao invés disso ficou com uma porcentagem da bilheteria que seria equivalente nos dias de hoje a 40 milhões de dólares.

O ator Gary Sinise fundou uma banda cover de rock and roll em meados dos anos 2000 chamada “A Banda do Tenente Dan”. O grupo frequentemente faz turnês se apresentando em bases militares dos EUA locadas em todo o mundo, e também toca em eventos beneficentes para causas relacionadas a veteranos. Sinise foi premiado com a Medalha de Cidadão Presidencial em 2008 e o Prêmio  Lincoln de Liderança em 2021 pelos esforços dele com caridade.

Quando Forrest aprende a jogar pingue-pongue na enfermaria militar, ele é informado por outro soldado que “o truque é ficar de olho na bola o tempo todo”. Depois desse momento, sempre que é mostrado jogando pingue-pongue, ele nunca pisca, enquanto que todas as fotos de Forrest durante este filme mostram Tom Hanks com os olhos fechados.

O ator Gary Sinise após o atentado terrorista do 11 de setembro de 2001 foi convidado como palestrante para inúmeros eventos na intenção de arrecadar doações para os ex-soldados do Exército Americano, desta forma no ano de 2011 criou a Fundação Gary Sinise, que arrecada em média 30 milhões de dólares anualmente desenvolvendo programas para auxiliar ex-integrantes do Exército Norte-americano deficientes, amputados e veteranos de guerra.

A fala “Meu nome é Forrest Gump. As pessoas me chamam de Forrest Gump”, foi improvisada por Tom Hanks durante as filmagens da cena, o diretor Robert Zemeckis gostou tanto dela que decidiu mantê-la.

Jim Hanks o irmão mais novo de Tom Hanks, gravou para ele em muitas de suas inúmeras sequências de corrida. De acordo com Jim “Tom possuía outros dublês, mas eles não podiam fazer a corrida” referindo-se ao passo rígido nerd de Forrest.

A cena de corrida foi inspirada em um evento real que ocorreu em 1982 quando Louis Michael Figueroa, de 16 anos, correu de Nova Jersey a São Francisco para a American Cancer Society.

Este longa-metragem fora selecionado pela Biblioteca do Congresso para preservação no National Film Registry em dezembro de 2011 como sendo “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo”.

Todas as cenas do barco, incluindo a cena do furacão, foram filmadas em locações nas águas da costa da Carolina do Sul. Um motor a jato foi usado para gerar os ventos do furacão. As imagens estáticas/notícias dos arrastões em terra são imagens reais das consequências do furacão Hugo que atingiu a Carolina do Sul em 1989.

Este é um dos três filmes – os outros dois são Apollo 13: Do Desastre ao Triunfo (1995) e À Espera de um Milagre (1999) – em que Tom Hanks e Gary Sinise aparecem juntos. Todos os três filmes foram indicados ao Oscar de Melhor Filme, mas apenas Forrest Gump venceu na categoria.

O grupo The Doors possui mais músicas no filme do que qualquer outra banda com um total de seis, são elas: “Soul Kitchen” (em uma das cenas do Vietnã), “Hello, I Love You” (primeira música na primeira sequência de pingue-pongue de Gump), “People Are Strange” (segunda música na primeira sequência de pingue-pongue de Gump), “Break On Through” (terceira música na primeira sequência de pingue-pongue de Gump), “Peace Frog” (durante uma cena em Nova York com o tenente Dan) e “Love Her Madly” (quando Jenny está deixando seu namorado abusivo).

O vírus que tirou a vida de Jenny não é especificado no filme. O diretor Robert Zemeckis nunca revelou qual era a doença, afirmando que isso era irrelevante e que ele nem mesmo disse a Robin Wright. Jenny diz no filme que os médicos não sabem o que é o vírus e que não podem fazer nada a respeito. Esta informação, combinada com o período de tempo em que ela ficou doente (início dos anos 80), coincidiu com a epidemia de HIV, então muitas pessoas presumiram que Jenny morreu de AIDS. No entanto, no livro sequela “Gump & Co” o autor menciona que Jenny morre de Hepatite C, contraída como ex-viciada em drogas nos anos 70. A hepatite C não foi isolada e nomeada até 1989. Muitas vezes era fatal até que tratamentos eficazes fossem desenvolvidos durante os anos 2000.

PRÊMIOS E INDICAÇÕES

 

VENCEDOR

OSCAR (1995)

Melhor Filme, Wendy Finerman, Steve Starkey e Steve Tisch; Melhor Ator, Tom Hanks; Melhor Diretor, Robert Zemeckis; Melhor Roteiro Adaptado, Eric Roth; Melhor Edição Cinematográfica, Arthur Schmidt; e Melhor Efeitos Especiais, Ken Ralston, George Murphy, Stephen Rosenbaum e Allen Hall.

INDICADO

OSCAR (1995)

Melhor Ator Coadjuvante, Gary Sinise; Melhor Cinemaografia, Don Burgess; Melhor Figurino, Rick Carter e Nancy Haigh; Melhor Som, Randy Thom, Tom Johnson, Dennis S. Sands e William B. Kaplan; Melhor Edição de Som, Gloria S. Borders e Randy Thom; Melhor Maquiagem, Daniel C. Striepeke, Hallie D’Amore e Judith A. Cory; e Melhor Música Original, Alan Silvestri.

e mais quarenta e quatro prêmios e sessenta e seis indicações.

 

Nota geral:

Mais sobre:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer