EPISÓDIO 33 – TERROR EM AMITYVILLE

Então diz: ‘Voltarei para a minha casa de onde saí’. E, retornando, encontra a casa desocupada, varrida e arrumada. Diante disso, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, passam a morar ali. E o estado final daquela pessoa torna-se pior que o primeiro. 

São Mateus 12:44-45

No dia 13 de novembro de 1974, em Amityville, Long Island, Nova York, a polícia recebe uma ligação e ao chegar ao local, se depararam com uma cena horrível: toda a família, exceto o filho primogênito, Ronald DeFeo Jr, foi assassinada enquanto dormia. O próprio Ronald confessou o crime, mas os atribuiu a vozes em sua cabeça que o comandavam e o induziam a matar. Após isso, a casa foi vendida à família Lutz, que presenciou uma série de acontecimentos macabros e assustadores, entretanto será que o patriarca Lutz tinha razão quando afirmou que “casas não possuem memórias”?

O filme “Horror em Amityville” de 1979 possui uma nota de 6,2 no IMDB e uma audiência de 52% no Rotten Tomatoes.

O longa-metragem fora baseado na biografia “The Amityville Horror: A True Story” (1977) do autor Jay Anson inspirada nas experiências narradas por George Lutz e Kathleen Lutz na 112 Ocean Avenue, em dezembro de 1975.

Na época de seu lançamento, o filme foi um dos filmes independentes de maior bilheteria de todos os tempos e o maior sucesso da American International Pictures.

Dois meses após o assassinato da família DeFeo, a mídia começou a explorar o caso de todas as formas possíveis. Inclusive, uma editora de televisão local começou a fazer uma investigação psíquica do caso. O sobrenatural Nick Fury e a repórter Laura Didio reuniram uma equipe de parapsicólogos, incluindo Ed e Lorraine Warren, retratados na franquia Invocação do Mal, e em 1976, o grupo entrou na casa na esperança de descobrir o que estava acontecendo. Toda a equipe relatou acontecimentos sobrenaturais dentro da casa, inclusive o casal Warren afirmaram que aquilo foi o mais próximo do inferno que chegaram.

Em 1979, William Weber, advogado de defesa de Ronald DeFeo, moveu uma ação contra George Lutz e Kathy Lutz, acusando-os de fraude e quebra de contrato. Ele alegou que eles renegaram um acordo para colaborar com Weber no livro e no filme subsequente. Em uma entrevista à Associated Press, Weber admitiu que ele e os Lutzes haviam arquitetado a estória de terror enquanto “tomavam muitas garrafas de vinho”.

Ronald DeFeo Jr, o serial killer que inspirou Horror em Amityville, morreu na cadeia aos 69 anos de idade no dia 12 de março de 2021.

PRÊMIOS E INDICAÇÕES

Indicado

OSCAR (1980)

Melhor Música Original, Lalo Schifrin.

GLOBO DE OURO (1980)

Melhor Música Original, Lalo Schifrin.

e recebeu mais seis indicações.

Nota geral:

 

Mais sobre:

Nos encontraremos novamente em quinze dias.

Até mais.

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer